sala VIP

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

As multifacetadas do casamento VIII




Ao sair do hospital, o mundo não era mais o mesmo, pois, com tanta riqueza de detalhes, eu nunca tinha observado o andar gracioso, os gestos angelicais e as sinuosas curvas femininas; a cidade policromática enfeitiçava os meus sentidos; sentia uma exótica vontade de gritar aos quatro cantos do mundo: “Estou vivo!”; via tudo com uma curiosidade aguçada de criança e, concomitantemente, saboreava uma leve anestesia espiritual provocada por uma indescritível felicidade.
Pedi ao condutor do veículo que, por favor, diminuísse a velocidade. Imediatamente, meio assustado, perguntou-me se eu estava sentindo dores. Respondi que não, mas fiquei com vergonha de confessar que estava feliz. Apenas, gostaria que aquelas cenas não fugissem tão rápido: era sublime viver aquele momento. Determinadas coisas, a gente não pode reportar a outro homem senão, de canto de olho e com trejeitos no rosto, começa a gozação pejorativa e depreciativa: “Virou boneca, heim!”; “A viadagem tá solta!”; “Eu botava tanta fé em você!”; “Tá doída pra voar, gazela!”; etc, etc, etc... Rótulos cotidianos da educação machista. Queria apenas fazer uma curvatura no parâmetro tempo para que a minha felicidade demorasse mais alguns segundos.
De volta ao novo mundo, a minha decisão estava abalizada: o casamento seria o meu próximo itinerário de vida. Eu não estava com pressa em viver enigmáticas experiências, mas a lógica do meu furtivo mundo seduzia novos paradigmas comportamentais.
Na pequena janela do meu pretérito, onde transitava folgada a minha ignorância sobre a vida, não passava a minha maturidade e, portanto, desconstruí conceitos estilizados que inflavam o caricatural ego.
Ao passar pela farmácia, minha mãe comprou várias caixas de cada medicamento indicado pelo médico. Em casa, o meu quarto estava impecável. A janela aberta soprava liberdade e vida. Como aquela casa era extraordinária! Quantas coisas feéricas cabiam dentro dela e eu, embriagado com torpes eflúvios da vida, nunca tinha percebido: amor, fraternidade, esperança, alegria, coragem, determinação, etc, etc, etc. Tudo transbordando por portas, janelas e frechais. Tudo ao meu alcance!
Depois de cinco dias que tomava os medicamentos, resolvi suspendê-los. Não sentia dores agudas e, portanto, telefonei pro médico e perguntei se, mesmo não sentindo nada, era obrigatório o uso dos remédios que me deixavam com um odor nauseante. O médico, num tom debochado, grosseiro e zombeteiro, disse-me: “Se tu não tá sentindo nada, porra, vai tomar remédio pra quê?” Foi a primeira e última vez que liguei pra ele. Desde aquele prosaico sábado de 1998, nunca mais tomei aqueles antibióticos.


P.S: A minha intenção inicial, inclusive o título dos textos não me deixa mentir, era falar sobre as minhas experiências de casamento até a fase de separação, mas o acidente não deixou o tema vingar e, portanto, fiquei convencido de que ainda não estou emocionalmente credenciado para discorrer sobre o assunto.

48 comentários:

Ira Buscacio disse...

Antonio,

Postei um comentário, mas estou na dúvida se vc recebeu, de qualquer forma, apesar de não me alongar tanto nesse, eu quero dizer que: Escrever é sempre um caminho na escuridão. Começamos com uma idéia e essa idéia, no meio, se faz outra e saimos em busca de outros caminhos. Essa é a delícia de quem escreve, como viver, a gente não sabe o que vai encontrar virando a esquina, ou a página.

Bjs e obrigada pelo carinho de sempre

Antonio José Rodrigues disse...

IRA, vc tem toda a razão. Finalizei parcialmente a série, mas pretendo um dia retomá-la. Recebi o comentário e não o publiquei: tomei-o, à revelia, como particular. Particular presente. Sempre. Beijos

Jéssica Araújo disse...

oiiii antonio
lindo seu post
parabéns..
você escreve muito bemmmm......
beijos sua seguidora...

Antonio José Rodrigues disse...

JÉSSICA, vou terminar ficando com o ego inflado. Beijos

Tempestade disse...

Adorei o Post... e nada como uma segunda chance para valorizarmos as pequenas coisas.

bjos..Nina

Antonio José Rodrigues disse...

Obrigado, Nina. Vi o que ignorava. Beijos

Umbelina disse...

Obrigada, amigo.
Abraços

Jorge Jansen disse...

Incrível como a gente tem receio de dizer que é feliz...Fica criando estigmas e preconceitos inclusive os que você abordou com seu humor refinado. Muito bacana o texto. Entrecortado de sentimentos.
Abraços

Jão disse...

Ao nascer temos um mundo a descobri, ao renascer, devemos descobrir o mundo que nos interessa, aquele que realmente faz sentido. Quando a estar sentimentalmente credenciado, creio que ninguem está, por mais forte que se julgue assim que o assunto vier a tona trará junto lembranças e aquele aperto no peito.

abraços.

Cristal de uma mulher disse...

Meu amigo um blog que visualiza e valoriza o conteúdo de cada palavra que forma a história.
Minha profunda admiração e fico aqui com ânsia de voltar a ler o teu infinito.

Um grande beijo e obrigada por tantas palavras lindas de entendimento que deixas-te para mim

Antonio José Rodrigues disse...

JORGE, já me senti, às vezes, deprimido em vez de feliz. Abraços


JÃO, acho que vou ter que concordar com vc. Abraços


CRISTAL, seja bem vinda. Sinta-se em casa. Beijos

UMBELINA, palmas para sua cidadania. O site cancer de mama necessita de sua colaboração: as empresas estão deixando de patrocinar exames para as mulheres em função da página não está atingindo 20.000 acessos/dia. Participe: acesse www.cancerdemama.com.br e clique num botão do lado esquerdo com a frase: Campanha da Mamografia Digital. Não custa nada.

REGGINA MOON disse...

Antonio,

Adorei o seu texto...meus parabéns!!

Beijos e um ótimo final de semana!

Reggina Moon

"Cheguei num ponto da vida, que ou continuo acreditando no amor ou paro e me desfaço de tudo, sendo apenas mais uma melancólica presença ausente, sentada num canto da sala de estar!" [Reggina Moon]

Cristal de uma mulher disse...

Amigo vim te desejar um fim de semana de muito exito.

Um grande abraço

Ira Buscacio disse...

Antonio, meu amigo,

Passei pra te desejar um lindo domingo, que seja de paz.

Bjs

Kátia Nascimento disse...

Acompanho sempre suas histórias. Momentos de superação. Você faz a diferença. Parabéns!

Antonio José Rodrigues disse...

REGGINA, obrigado. Frase belíssima a sua. Tentarei seguir o seu exemplo. Beijos


CRISTAL, obrigado por dedicar uma parcela de
seu tempo para me desejar sucesso. Beijos


IRA, poetisa carioca da gema, muito obrigado. Que a paz abrace o Rio. Principalmente vc. Beijos.

KATIA, obrigado. Volte sempre. Beijos

Iram M. disse...

Antonio,
obrigada por ter ido me conhecer.
É um prazer ter a sombra da minha foto lá no seu quadro de seguidores. É uma vergonha: TENHO QUE COLOCAR UMA FOTO.

Adorei seu jeito de escrever. Estarei aqui sempre.

Iram

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá Antonio, vim deixar um abraço e conhecer seu espaço.

...VEM DE DENTRO UMA FORÇA MAIOR
CRIANDO POSSIBILIDADES NAS IMPOSSIBILIDADES
NOS LEVANDO A VOAR NOS SONHOS
FLUTUAR NAS INCERTEZAS
ULTRAPASSAR LIMITES
IR ALÉM,
NOS LUGARES ANTES NUNCA IMAGINADOS
ROMPENDO AS CADEIAS.
QUEBRANDO OS GRILHÕES
SENDO VITORIOSO
REALIZANDO SONHOS

Ira Buscacio disse...

Amigo querido,
Uma semana de mta paz pra todos nós.
Bjão

Antonio José Rodrigues disse...

IRAM, obrigado pela visita. A casa é nossa. Beijos


VALQUIRÍA, obrigado. Em síntese: "levanta, sacode a poeira e dar a volta por cima". Volte sempre. Beijos


IRA, é um orgulho ter vc sempre presente. Beijos de paz e ótima semana.

Ana Luiza F. disse...

Olá meu amigo! Se aquele pedaço de poema do Chaplin que publiquei mexeu contigo, nem de longe podes imaginar o que este texto teu fez com meu coração! Linda demais tua sinceridade e honestidade:"fiquei convencido de que ainda não estou emocionalmente credenciado para discorrer sobre o assunto"! E de uma coisa podes estar certo - não raro, as palavras têm vida própria e à nossa revelia vão tomando rumos que não desejávamos de inicio. O bom, é que em geral, elas estão certas nos seus desvios e nós, teus leitores é que saimos ganhando. Um grande (e irmão) abraço!!

José María Souza Costa disse...

Antonio passei aqui apenas para lhe deixar um abraço e renovar o meu respeito e apreço pelo seu blog. Só de ouví a palavra casamento, eu sinto calafrio. Eu sou o Pai (samea, tamea e pamea) solteiro, mais feliz do mundo. E vivo em PAz
Fique com DEUS, meu querido.

Érica disse...

Oi Antônio!
Que bom que você foi dar uma lida nas minhas LorOtas rrsr, espero que tenha gostado, pois aqui via meu convite formal: Volte sempre!
Bom,quantas e quantas vezes me peguei consumida pela escrita, assim como aconteceu com vc agora... talvez seja porque quando iniciamo com o título as coisas fluem da mente, mas quando passamos ao decorrer da mente daí o negócio é com o coração. Não há como driblar as palvras.

Foi um renascer... e acredito que sempre quando há um renscimento ficamos melhor. Eu já renasci 2 vezes e, olha... como eu amo essa vida!

BjãO
voltarei mais vezes, tô seguindo

Ana Agarriberri disse...

Antônio! Que bom que nunca mais ligou pro médico! E que bom que o post tomou outro rumo, é sempre bom e prazeroso ler algo onde nota-se que as palavras simplesmente fluíram, narras muito bem tua experiência.
Vivi algo assim, mas não em situação de internação, fiquei 3 dias longe da minha cidade e enquanto viajava, por mais que estivesse aproveitando, me divertindo com minhas amigas, senti falta das minhas coisas que ficaram aqui, coisas simples e pequenas, que percebi que fazem toda diferença na minha vida. Voltei com ar renovado, de quem sabe o que tem que aproveitar e valorizar.

Parabéns pelo post. Agradeço tua presença lá no Molhe-se, sempre bem-vindo. :) Ótima quinta-feira pra você.

REGGINA MOON disse...

Antonio,

Passando para te desejar um ótima tarde!!!

beijos,

Reggina Moon

Rosane Marega disse...

Oie Antonio, tambem estou no amigo secreto da Esther e vim te conhecer, afinal também esta na lista,mas chegando aqui me encantei com seu blog, voltarei muitas vezes viu.
Beijosss

Analuz disse...

Sou mais uma participante da confraternização promovida por Ester...Vim te conhecer...

Estou adorando a oportunidade de conhecer novos cantos...

Admirada com teu jeito de escrever... bem espontâneo... Adorei!

Te sigo!

Beijo de Luz!

Uni ver sos disse...

Ola´Antonio,

preciso que me confirme se recebeu meu email, que é a única forma que terei para passar o nome de quem vc tirou no amigo secreto...

abraço.

Majoli disse...

Boa noite Antonio.
Vim conhecer teu espaço, pois eu também estou participando do amigo secreto do blog da Ester.
Virei com mais tempo para te ler, pois senti que há uma continuidade nessa postagem, então preciso ler as primeiras.
Tenha uma deliciosa noite e uma boa sexta-feira.
Um abraço.

Antonio José Rodrigues disse...

ANA LUIZA, vc tem razão. Obrigado. Beijos


JOSE MARIA, a felicidade é a nossa meta. Abraços


ERICA, verdade. Nós amamos. Volte sempre. Beijos


AGARRIBERRI, sinceramente, desejo sorte no seu concurso. Obrigado. Beijos


ROSANE, obrigado. Espero visitas. Beijos


ANALUZ, fico grato. Beijos


UNIVERSO, um pouco atrasado, mas confirmado. Beijos


MAJOLI, obrigado. Espero retorno. Beijos

Antonio José Rodrigues disse...

REGGINA, obrigado por lembrar-se de mim.. Beijos

Ira Buscacio disse...

Antonio, amigo querido,

Entendo os comprometimentos com a vida e saiba q sua presença é sempre uma alegria.
Um fds cheio de paz, bjão

JAIR FEITOSA disse...

Olá AJRS.

Vejo o seu repentino gosto sensível pelas coisas simples da vida (passeio de volta pra casa) como uma demonstração de que o acidente provocou revelações por demais saltitantes. Fez revelar as dores e as delícias de saber quem você é realmente. Das dores não é bom falar porque doem. Mas das delícias eu não poderia deixar de dizer machistamente que você parece que está passando muito bem com essas revelações, não é? São os recônditos revelados por meios impensáveis. Haja Freud agora pra você.

Mas vou ficar daqui torcendo pelo fim dessa crise e esperar o meu amigo de volta. Termina logo com essa série de reminiscências reveladoras. Cai na real, Antonio José.

Um abraço.

Jair Feitosa.

Antonio José Rodrigues disse...

IRA, minha linda poetisa, a vida não atropela os meus compronissos, mas eu sou natropelado pelos compromissos da vida. Beijos soniferos e sonhadores

Antonio José Rodrigues disse...

JAIR, meu jovem, muitas vezes vc participou de festas na minha casa quando eu estava casado. Vc conhece a minha índole, portanto não responderei a sua ironica provocação. A partir do dia 21 de dezembro estarei de férias. Abraços .

Érica disse...

Olá!

passando para deixar um ótimo fim de semana! ;)

BjO

Elaine Castro. disse...

Ei Antônio,
Estou participando do amigo secreto do blog da Esther, e vim conhecer seu espaço, assim como tenho feito com todos que estão "nesta gostosa confraternização", e gostei muito do seu blog, você é carismático, se coloca de peito aberto sem medo de críticas, e isso só leva ao crescimento. Enfim, gostei tanto que estou seguindo-te.
Forte abraço.

Mari Amorim disse...

Estou passando para dizerlhe que além de estar participando do amigo secreto da Ester,quero desejar-lhe uma semana feliz,cheia de boas energias!
Mari

Antonio José Rodrigues disse...

ÉRICA, obrigado. Beijos


ELAINE, obrigado pelas palavras de incentivo. Volte sempre. Beijos


MARI, obrigado. Energia para todos nós. Beijos.

JAIR FEITOSA disse...

Olá AJRS.

Pois é, estou aguardando a sua visita na nossa cidade. Espero que nos encontremos para tomar umas cervejas lá na sua casa. Vamos fazer um churrasco e ouvir música boa.

No mais, sei que você é homem. Sei sim. Mas Caetano (a quem você muito admira) disse que todo ser humano é bisexual. Será que dá para ser meio admirador? Ou você vai deixar de gostar dele?

Um abraço.

Jair Feitosa.

Luiz Neves de Castro disse...

Antônio, o seu olhar sobre o cotidiano, com leveza, humor e uma certa ironia fina, é uma das melhores coisas que temos na crônica da blogosfera. Um grande abraço

Antonio José Rodrigues disse...

JAIR, sua extração filosófica sobre a frase de Caetano não invalida o meu senso comum. A cerveja sairá! Abraços


LUIZ, generosidade sua. Obrigado. Abraços

Iram M. disse...

Legal, né?
Você não tem ideia do quanto a gente se diverte nessa festa.

E vc por onde anda que não tem escrito mais?

Beijos

Iram

Antonio José Rodrigues disse...

IRAM, estava numa comissão para aprovação do regimento geral do Instituto Federal do Maranhão. Voltarei a publicar. Hoje mesmo. Beijos

AyméeLucaSs disse...

Ola, Iniciei lendo o seu livro, (é um livro nao?)
Pois entao eu iniciei do final, hehehe estava muito curiosa pra saber o final. Alias... Nao é ainda o final, rsrsrs Agora vou ler o inicio pois fiquei super curiosa!

Adorei o beijo tropical porque aqui a coisa esta realmente terrivel! O frio tomou conta com 2° positivos pela manha e ontem novamente nevou, mas a chuva nao esta deixando a neve permanecer por muito tempo. Quando Neva o tempo fica mais agradavel do que quando chove,rsrsrs

Quero muito sim ser seu amigo e nao precisa de amigo secreto para isto nao!
Te achei uma pessoa genial, mas devo confessar quando leio o que escreve eu tenho de estar com um dicionario do lado, hehehe e como nao tenho um dicionario da lingua portuguesa ficou foi dificil, kkkkkk
Voce fala dificil demais, tem palavras que eu nunca usei e nem nunca ouvi, como esta aqui:concomitantemente... e muitas outras.
Mas eu sei dizer uma que quando tinha 17anos eu memorizei depois de ouvi-la, kkkkkk E é
(esporadicamente)hehe
Gostei daqui e vou ler todos os capitulos agora mesmo.

Obrigado pela sua presença la no Blog e espero que leia o meu livro de bolso... Ta la no blog, esta somente la, nunca publiquei nada nao!

Eu amo escrever e quando vi um filme com Meryl Streep Julia Julia, eu quis fazer que nem a protagonista e comecei a escrever no blog, e um dia eu escrevi um conto de capitulos e gostei, entao nas ferias escrevi o livro que dei o nome de Circulo Vicioso - Mente Suja e Perigosa o tal livro de bolso, rsrs Escrevi em 4dias este livro e queria sua opiniao se posso.
Tem um vilao na estoria mas esta adormecido... Sabe este livro de bolso podera se transformar em um grosso livro, esta tudo aqui em minha mente.

Obrigada de novo pela sua visita!
Beijos com pedrinha de gelos, kkk

Antonio José Rodrigues disse...

AYMÉE, obrigado pela visita italiana. Li e leio muitos romances e, portanto, surgiu este meu estilo de escrever, como vc disse, meio difícil. Não assisti ao filme que vc mencionou, mas acredito que deve ser muito inspirador: transformou vc numa escritora. Lerei o seu livro, com certeza. Espere comentários. Obrigado pelo simpático beijo gelado, pois aqui está muito quente, em torno de 35º

Anne Lieri disse...

Antonio,me identifiquei demais com sua postagem,pois tb passei pela mesma situação ao sofrer um acidente e ficar hospitalizada um mes em 1995.Quando saimos o céu é muito mais azul!Só quem passou por isso pode entender essa felicidade!Um belo texto!Abraços,

Antonio José Rodrigues disse...

ANNE, verdade total. Obrigado. Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...